Educaçâo dos filhos

Os erros mais frecuentes que cometen as mães que afrontam sozinhas a maternidade em relação a educação de suas filhas/os são:

Super-proteção

  • Quando a mãe se volta tanto ao cuidado das/os filhas/os acaba desenvolvendo atitudes de super-proteção que em algumas ocasiões funcionam como mecanismo para compensar o rechaço inicial em relação ao bebê. A “mãe solteira” e jovem mantém uma relação de amor-ódio com o bebê ao que, por um lado, ama, mas que é o/a “responsável” pela perda se sua adolescência ou juventude, etapa vital na qual ainda não estão bem definidas suas responsabilidades.

Onipotência ou impotência

  • Podem existir dois estilos de pensamento e comportamento em relação ao comprometimento e responsabilidades parentais:
  • Dar conta de tudo, poder com tudo: decisões, tarefas, trabalho, normas, dificuldades. Gera um grande estrés que sobrepassa as mães.
  • Deixar que os avós se responsabilizassem pela educação dos filhos/as, mantendo-se à margem das decisões, pois afinal são os que estão mantendo a ambos/as.


Perfeccionismo

  • Funciona em ocasiões como um mecanismo de compensação do erro cometido: tentar ser a melhor mãe do mundo para demonstrar ao mundo inteiro e a si mesma que, apesar de ter engravidado sem desejar, é capaz de assumir a situação sem depender de ninguém e sem pedir ajuda a terceiros.